sexta-feira, 27 de maio de 2011

Resenha do Filme ''Amor Sem Escalas''



O filme amor sem escalas do ano de 2009, cujo diretor Jason Reitman, conta a história de Ryan Bringhan (George Clooney), um executivo renomado que desempenha o papel de demitir pessoas e tentar convencê-los de que perder o emprego é começo de uma nova vida, tal função exercida por ele que demonstrar ser uma pessoa fria, calculista, sem nenhum tipo de sentimento.
Por está sempre viajando Ryan não tem uma vida social e nem convívio com seus familiares, ao longo do filme demonstrar ser uma pessoa solitária e que escolheu viver exclusivamente para o trabalho tornando sua vida uma verdadeira rotina onde o principal objetivo era acumular milhas e ser a sétima pessoa do mundo a obter esse efeito. Até que surge Natálie Kepler (Anna Kendrick), recém-formada em Psicologia, contratada pela empresa em que Ryan trabalha trazendo consigo novas idéias e projetos que ameaçam a carreira e a vida que ele próprio criou.
Diante do exposto, nos faz refletir a importância da comunicação dentro das organizações, a qual se tem uma percepção errônea pelos administradores em relação ao custo, que não produz um retorno mensurável.
Outro ponto que podemos observar são os avanços tecnológicos nos trazem bons e maus benefícios para organização, ao mesmo tempo em que possibilita uma universalização, que se propaga com co-presença e interação do espaço físico e social. A proposta que sugere a videoconferência também impõe o distanciamento humano na execução da tarefa, fazendo com que não se possa presenciar a dor alheia e não se envolva no peso emocional que aquela situação refletiria, demonstrando que as organizações não se importam com a relação psicossomática dos seus funcionários visando apenas os resultados obtidos.
Adicionar legenda
A implantação desse sistema não alteraria somente em como executar tal tarefa incluiria nesse sistema trazer mudanças na organização, gerando um alto impacto na sua cultura organizacional, fazendo com que esses consultores se vissem na mesma situação daqueles outros que eles mesmo demitiam e sentissem o mesmo medo de lhe tirarem a rotina que essa tarefa proporcionava a cada um deles e que já era uma cultura vigente nas suas vidas. Evidencia também que mudanças impostas sem planejamento, sobretudo sem perspectivas podem gerar transtorno até mesmo resultados negativos para a organização, podendo ser percebidos no contexto da atualidade de varis empresas. Foi visto também que com o objetivo de minimizar o impacto emocional que esses tipos de demissões afetariam. Foi criada uma palestra no intuito motivacional, que enfatiza que todas as relações interpessoais que obtínhamos no decorrer das nossas vidas não passavam de pesos que nos impediriam de crescer, ideologia essa que contrapõe com conceitos de que interação social e comunicação promovem mudanças tanto no indivíduo no campo social organizacional que ajudariam a promover inovações e evolução.
Ao observar que muitas pessoas se dedicam anos no sue trabalho, esperando que sejam reconhecidos e acabam fazendo com que suas vidas girem apenas em torno do trabalho, esquecendo-se do convívio social e quando por algum motivo lhe tiram o trabalho, essas pessoas se tornam pessoas depressivas e decepcionadas, podendo até cometer suicídios por acharem que a vida sem trabalho é insana e sem perspectivas, pois não souberam conciliar sua vida profissional e pessoal acarretando assim interferências dos dois lados.
Percebemos também que existe uma necessidade muito grande dos funcionários continuarem se especializando e qualificando para o mercado de trabalho e a falta de valorização que a empresa adota em seus funcionários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário